top of page

Outra pessoa (ou empresa) administrando o seu perfil pessoal no Linkedin, dá certo?

Atualizado: 12 de mar.

Se antes o Linkedin era visto apenas como uma plataforma online em que publicávamos o nosso CV, hoje ele é considerado uma excelente ferramenta de conexão e difusão de conteúdo relevante, principalmente sobre o mercado de trabalho, negócios e empreendedorismo.


Já somos mais de 32 milhões só no Brasil e, em 2013, este número não passava dos 6 milhões

A meu ver, esse aumento repentino no número de usuários aqui no Linkedin - já somos mais de 32 milhões só no Brasil e, em 2013, este número não passava dos 6 milhões - se dá porque as demais redes sociais estão saturadas de conteúdos iguais, sem credibilidade e completamente tendenciosos. A impressão que eu tenho no Facebook ou Instagram, por exemplo, é que se alguma vez na vida cliquei em um post falando sobre X ou Y, eles tomam a minha paixão por esses temas como verdade absoluta. Como se eu não pudesse gostar de outras coisas - e não quisesse saber outros pontos de vista.


Quando se trata de política essa tendência é ainda mais perceptível e perigosa!

Mas voltando ao tema principal deste post: sabendo do crescimento do Linkedin e que ele pode ser um ótimo aliado para construção de networking e divulgação de seu trabalho (ou de seu negócio), vale a pena contratar outra pessoa para administrar o seu perfil pessoal? A resposta é depende.


Calma! Me acompanha até o final que eu te explico o porquê! rs

Se você está aqui para conseguir recolocação, por exemplo, eu sugiro que você mesmo faça a gestão de sua rede.

Acredito que antes de tudo precisamos entender porque a pessoa quer contratar este tipo de serviço e quais são suas expectativas, para então avaliarmos se faz ou não sentido. Se você está aqui para conseguir recolocação, eu sugiro que você mesmo faça a gestão de sua rede. Se conecte com pessoas importantes, interaja com publicações que tenham a ver com sua área de atuação, sinta qual pitch dá mais certo quando você entra em contato com algum recrutador.


Agora, se você é CEO ou gestor de empresa, por exemplo, e não tem tempo para se dedicar a produção de conteúdo e interação com a sua rede, mas gostaria de ter uma voz mais ativa entre as suas conexões e divulgar o seu trabalho (ou negócio), a terceirização desta tarefa pode trazer resultados muito positivos. Lembra daquele ditado "quem não é visto, não é lembrado"? Aqui também funciona assim. Mas a diferença para as outras redes é que no linkedin o conteúdo costuma ser muito mais aprofundado e profissional.

Eu faço a gestão do Linkedin de alguns clientes e em cada caso ela é feita de uma forma. É extremamente importante manter um fluxo de trabalho organizado, além de conhecer a fundo a pessoa com quem você está trabalhando, afinal, você irá representá-la. Quando bem alinhado com o cliente, dá muito certo!


Se você tiver qualquer dúvida sobre o assunto, é só entrar em contato. Vou adorar bater um papo!


_ Este artigo foi originalmente publicado em 2018, no Linkedin da Thais Beré, CEO da Fala Labs

24 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page